Filiada à Rede de ONGs Ambientalistas da Mata Atlântica, a ONDA VERDE PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE, que atua na região de Torres desde o ano de 1999, acolheu a proposta de implantação dos chamados BOSQUES DA MEMÓRIA, cujo objetivo é homenagear as vítimas da COVID- 19 com o plantio de uma muda de árvore nativa.

“ONGs de todos os estados do país onde ocorre o Bioma Mata Atlântica, desde o Rio Grande do Norte até ao rio Grande do Sul, realizaram e ainda realizam o plantio de mudas em homenagem às vítimas da pandemia, num movimento conjunto de respeito aos mortos e de continuidade da vida”, destaca a comunicação da ONG Onda Verde.

Através da arquiteta da prefeitura de Três Forquilhas, Roberta Cechin Feltes, a ONG ONDA VERDE teve conhecimento de que a prefeitura dispunha de uma área para ser reflorestada e teria o interesse de formar uma parceria com a Entidade, implantando um Bosque da Memória. A Prefeita de Três Forquilhas, Loraci Klippel Melo Germam, cuja mãe foi vítima da COVID-19, incentivou a proposta, junto com toda sua equipe. Loraci homenageou à sua mãe com o plantio de uma amoreira.

As mudas foram doadas pelo esposo da Marliza Terezinha Maia, ambos associados da ONDA VERDE. Marliza implantou no sitio de propriedade do casal, no Campo Bonito, um viveiro onde cultivava com muito carinho mudas de plantas que eram doadas nos eventos organizados pela Entidade e ao Hospital N.S. dos Navegantes para cada criança nascida no hospital através do projeto Nascer e Crescer na Onda do Meio Ambiente. Chegou a pandemia, eventos e projetos suspensos.

“Marliza continuava cultivando suas plantas porém, infelizmente se tornou mais uma vítima da COVID e o Bosque da memória de Três Forquilhas recebeu o nome de Marliza Maia, em sua homenagem”, concluí a ONG Onda Verde.

Fonte: A Folha Torres.