Músico estava internado no Hospital Regina, e não resistiu a duas paradas cardíacas. Fundador do Grupo Cordiona e autor de sucessos como “Lembranças”, “De Alma Serrana”, “Do Jeito que Deu” e “Gaiteiro Por Demais”, possui 21 CDs e 3 DVDs gravados, além de dois discos de ouro.

Élio da Rosa Xavier, conhecido artisticamente como Porca Véia, morreu nesta sexta-feira após ter duas paradas cardíacas, no Hospital Regina, em Novo Hamburgo, onde estava internado. O cantor, compositor e gaiteiro de 68 anos sofria de insuficiência renal e se submetia a sessões de hemodiálise três vezes por semana. O artista deixa a esposa, Claudinéia Bossardi e quatro filhos.

Natural de Lagoa Vermelha, ingressou na carreira artística com 6 anos de idade, por influência de sua família, que possuía vários músicos. Produtor rural até os 16 anos, fez curso de técnico agrícola, onde ganhou o apelido que o acompanhou até o fim da vida. Participou de inúmeros s festivais e apresentou-se no centro do Brasil, com Kleiton e Kledir. Fundador do grupo de baile fandangueiro Cordiona, foi autor de sucessos, como “Lembranças”, “De Alma Serrana”, “Do Jeito que Deu” e “Gaiteiro Por Demais”, possui 21 CD’s e 3 DVD’s gravados, além de dois discos de ouro. Após 33 anos nos palcos, anunciou o término de sua carreira na música no final de 2013. O grande show, com quase 5 mil pessoas, contou com Renato Borghetti, Yamandu Costa, Luiz Carlos Borges e Daltro Bertussi, no pavilhão da Festa da uva. O Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) manifestou solidariedade, em nota.

Porca Véia é um dos artistas mais populares da Rádio Mampituba FM, rádio referencia na musica gaúcha no Brasil, sucessos como as musicas Lembranças, Morena Luxuosa, Gaiteiro por Demais, foram músicas que fazem sucesso até hoje na programação da 99,5 FM.