Após meses de cuidados e preparação com o plantio, a colheita da pitaya iniciará oficialmente em Santa Catarina nesta sexta-feira, dia 9, no município de Turvo. A abertura da colheita da fruta-do-dragão, como é mais conhecida, será realizado em uma manhã com palestras e atividades no bairro Linha Contessi, na propriedade do casal de agricultores Manoel e Ivonete Nagildo. A ação é gratuita e iniciará a partir das 8h30.

Conforme o engenheiro-agrônomo da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) de Maracajá, Ricardo Santanna Martins, a ação é focada para agricultores, profissionais da área e também para o público interessado. As palestras abordarão assuntos como manejo de pragas, benefícios do consumo da pitaya, cooperativismo, produção da planta, entre outros temas.

“Esta é a segunda edição que realizamos a abertura da colheita. Nosso foco é divulgar mais sobre a cultura da pitaya, o consumo e fazer uma campanha de marketing em geral. Queremos capacitar cada vez mais os produtores agrícolas de Santa Catarina”, informou Martins.

Produção e problemas no plantio

O engenheiro-agrônomo explicou que o plantio da pitaya inicia na estação da primavera, entre os meses de agosto e outubro. Já a colheita ocorre no verão, entre os meses de janeiro e maio. “Este ano o clima está contribuindo e acreditamos que a safra deste ano dobrará a produção. Os resultados vêm sendo produtivos desde as primeiras colheitas que fizemos”, afirmou.

O crescimento e produção da pitaya depende das situações climáticas. Segundo Martins, fortes chuvas e estiagem são as principais situações que causam problemas aos agricultores. “As fortes chuvas registradas em Santa Catarina em 2023 não provocaram diversos prejuízos, apenas atrasaram a florada. Mas, ficou tudo dentro da janela de produção para termos uma colheita favorável em 2024”, comentou.

Para este ano, o foco é que a colheita dobre a produção. Em 2023, foi colhido 2,5 mil toneladas e neste ano a expectativa dos produtores é colher cerca de 5 mil toneladas.

Pitaya em Santa Catarina

Ainda conforme Martins, o plantio dela é feita por meio da parte vegetativa. “Após colhida, a pitaya é anti-oxidante, sendo rica em Vitamina C, ferro, cálcio e outros nutrientes”, destacou o engenheiro da Epagri.

A produção da pitaya é bem característica no Sul de Santa Catarina, principalmente nos municípios da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (Amesc). Turvo, Jacinto Machado e Santa Rosa do Sul são os principais produtores do Estado.