Última atualização:

As mudanças forjadas pelo cenário da pandemia de Covid-19 não dizem respeito apenas aos cuidados com a saúde da população. Elas impactam também nos padrões de consumo, e trazem a reboque, invariavelmente, o mercado de trabalho. Mesmo que ainda estejamos atravessando a crise causada pelo vírus, especialistas já analisam o cenário e levantam as tendências para o mundo do trabalho no pós-pandemia, tanto nas competências quanto nas profissões que devem ganhar destaque após o momento atual.

Este “novo mundo”, que vai se delineando durante a pandemia, teve algumas das mudanças que já estavam em curso, aceleradas. A pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unesc, Gisele Coelho Lopes, analisa que o cenário apresentado já não é mais novo, e convoca a qualificar competências profissionais. “Falar do mundo do trabalho é referenciar ocupações e rotinas, que nos provocaram a uma readaptação nos últimos meses. Estamos vivendo uma realidade que pede diferentes ações e entendimentos do contexto do mundo. Este susto sistêmico, que mudou tudo da noite para o dia, trouxe um novo normal e a chegada do futuro foi acelerada”, afirma.

Neste contexto, a educação aparece, mais uma vez, como fundamental, já que é por meio dela que as pessoas vão se preparar para os novos desafios e oportunidades. O diretor do Sebrae Santa Catarina, Luc Pinheiro, afirma que mais que nunca, a universidade será uma grande parceira na construção deste novo mundo, preparando profissionais alinhados às novas necessidades e que poderão colaborar com sua expertise com gestores públicos e empresas.

Assim, estar preparado poderá ser um divisor de águas para a carreira profissional. Segundo o coordenador do Seai (Setor de Avaliação Institucional) da Unesc, Thiago Francisco, a estimativa é a de que aproximadamente 70% da mão de obra brasileira sinta algum tipo de impacto em decorrência da pandemia. “Isso traz uma sensação de insegurança e poucas consistências do cenário nacional. Por outro lado, temos dados que evidenciam que em todos os países de economia consolidada as atividades menos afetadas foram aquelas nas quais os empregados possuem algum nível educacional. Ou seja, quanto mais qualificada for a força de trabalho, menor o impacto”, comenta.

O presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic) reforça a importância do conhecimento para vencer a crise. Segundo ele, empresas com profissionais com maior nível de estudo conseguem ter um poder de resposta mais amplo em momentos de crise.

Competências profissionais

Segundo o Fórum Econômico Mundial, há 10 competências que os profissionais devem buscar neste novo cenário:

Pensamento analítico e inovação;
Aprendizagem ativa e estratégia de aprendizagem;
Criatividade, originalidade e iniciativas;
Design e programação de tecnologias;
Pensamento crítico;
Soluções de problemas complexos;
Liderança e influência social;
Inteligência emocional;
Raciocínio, resolução de problemas e ideação e
Análise e avaliação de sistemas.

Neste contexto, palavras como resiliência, inovação, criatividade, proatividade, trabalho em equipe, liderança e empatia aparecem como essenciais aos profissionais.

A coordenadora do Setor de Planejamento Institucional da Unesc, Almerinda Tereza Bianca Bez Batti Dias, dá um destaque especial ao pensamento crítico, que segundo ela, se faz ainda mais necessário agora. Nele, inclui-se a capacidade de questionar, de pensar antes das conclusões, de não confiar cegamente em opiniões e primeiras impressões e de tomar decisões somente após o fato analisado por diversos olhares.

Já o presidente da Acic, chama a atenção para a humanização das relações de trabaçho como uma forte tendência, aliada a uma reflexão das pessoas, que ficaram mais criteriosas com o que consomem e estão refletindo sobre que é essencial à vida. “Por isso, nós empresários precisamos ficar atentos se o que ofertamos ao mercado é necessário para as pessoas. Além disso, temos que refletir sobre qual o propósito da nossa empresa e melhorarmos a comunicação deste propósito ao consumidor”, comenta.

Novo trabalho e áreas de destaque

As tendências dão conta também dos novos formatos de trabalho. As mudanças de rotina, aceleradas ou iniciadas em função da pandemia, devem continuar e se aprimorar nos próximos tempos. O trabalho remoto é um exemplo disso, assim como a flexibilização da jornada, que tende a ser fundamentada na capacidade de entrega do profissional.

A tecnologia é o ponto comum da maioria das modificações no mundo do trabalho. Ela inclusive estará cada vez mais presente também na formação profissional, que incluirá ainda mais as experiências formativas virtuais no processo de formação presencial.

E mais uma vez ela, a tecnologia, dará o tom do mundo pós-pandemia. Segundo o secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Paulo Alvim, o futuro já está sendo delineado no agora e neste momento, torna-se claro o protagonismo da ciência e a tecnologia. “Nunca a ciência foi tão reconhecida como fundamental para o processo de tomada de decisão quanto agora. A tecnologia também tem um papel fundamental. Estamos saindo de um analógico, de equações lineares para o mundo digital, com equações exponenciais. A Matemática passa a ter papel fundamental em tudo e isso é um sinalizador para a área da educação”, salienta.

Segundo especialistas em carreiras, as áreas da tecnologia, finanças e saúde têm tudo para ser as que mais vão demandar profissionais neste futuro próximo. Algumas das carreiras que devem estar em alta estão relacionadas aos cursos de Data Science e Big Data; Design de Aplicações e Interfases Digitais; Design de Experiência e de Serviços; Logística 4.0; Gestão de Cloud Computing; Rede de Computadores; Gestão Financeira; Gestão Comercial; Marketing; Design de Produto; Recursos Humanos; Biomedicina e Enfermagem.

Matrículas abertas

O mundo está mudando, o que não muda é a força do conhecimento. Mais do que nunca, ter formação de excelência faz toda a diferença. Para viver esta experiência, as matrículas para o segundo semestre já estão abertas na Unesc, por meio do Ingresso sem Vestibular.

Para se matricular em um dos cursos da Unesc, basta entrar em contato com o Setor Comercial, pelo WhatsApp (48) 99915-0433 ou pelo telefone (48) 3431-2500.