Última atualização em 12/05/2020 . Por Redação FS

Visitantes participarão de uma atividade de 30 dias como observadores dos residentes

Com o objetivo de fomentar a troca de experiências e as vivências da atenção em saúde, 11 estudantes de pós-graduação em Saúde Pública de Angola chegaram, nesta segunda-feira (7/10), em Criciúma. Os acadêmicos vieram para o Brasil para participar como observadores do Programa de Residência Multiprofissional da Unesc, em que vão acompanhar os residentes nas UBS (Unidades Básicas de Saúde) e nas Clínicas Integradas da Universidade. Os visitantes participarão do projeto em um período de 30 dias.

Vindos de Bié e Huambo, duas províncias de Angola, os estudantes são profissionais da área de Enfermagem que atuam na atenção básica de saúde e buscam nos serviços e atendimentos realizados pela Residência, embasamento e experiência para levarem para o país de origem.

Conforme a coordenadora do Núcleo de Saúde Coletiva e do Colegiado das Residências Multiprofissionais, Lisiane Tuon, o interesse da participação partiu dos próprios visitantes. “A Unesc e a Residência já tem experiência na atuação no município e, a partir dessa troca de informações, nós poderemos aprender com o modo de trabalho deles e eles também poderão levar o conhecimento daqui para a Angola”, explica.

O angolano José Cambuta está entre os participantes do grupo e busca colocar em prática no seu país o que aprender no Brasil. “A expectativa é grande e vimos que aqui tem pontos fortes na saúde pública, algumas coisas que queremos implementar lá”, coloca. Um ponto que chamou a atenção de Cambuta é a quantidade de profissionais atuando na Residência e na Universidade. “É um fluxograma muito grande, com um leque de profissionais importantes trabalhando em equipe”, coloca.

A mesma expectativa é compartilhada por Angela Praia, que, vê a troca de experiência como principal motivador desta atividade. “Na saúde pública nós atuamos na vertente da prevenção e aqui vejo que também atuam na empatia, no contato com as pessoas. Essa experiência servirá para vermos como é feito aqui e como podemos melhorar”, enfatiza.

O grupo visitou a Prefeitura e a Secretaria de Saúde de Criciúma no início da tarde. Após o encontro visitaram a Unesc, onde conheceram as Clínicas Integradas, o CER (Centro Especializado em Reabilitação) e tiveram o primeiro contato com os residentes do Programa, que serão seus parceiros nos próximos 30 dias.

O intercâmbio foi mediado pelo Escritório de Relações Internacionais e tem a parceria do PPGSCol (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva) da Unesc.